A Tecnologia da TISMOO foi usada em pesquisa sobre Zika vírus e publicada na Nature, a mais antiga e respeitada publicação científica do mundo

A TISMOO integra a equipe responsável pela pesquisa sobre o Zika vírus e sua relação com o alto índice de microcefalia no País ao lado de cientistas da USP e da Universidade da Califórnia. Por meio de sua tecnologia de minicérebros, a startup brasileira ajudou a demonstrar a relação entre a versão brasileira do vírus e como ele atua causando a malformação do córtex e levando a essa condição neurológica.

O estudo foi publicado na quarta-feira, dia 11, no site da Nature, o que torna a TISMOO a primeira startup nacional de biotecnologia a ter um artigo publicado na mais respeitada revista científica do mundo. Conhecida por seus estudos para o Autismo, a TISMOO é o primeiro laboratório exclusivamente dedicado a análises genéticas com foco em perspectivas terapêuticas personalizadas para Transtorno do Espectro do Autismo (TEA) e síndromes relacionadas.

A startup brasileira, que define seu modelo de negócio como sendo uma Social Enterprise*, iniciou suas atividades com o intuito de trazer as técnicas e estudos de ponta, antes restritos às universidades, para colocá-los em prática e em benefício clínico dos indivíduos afetados por essas condições. As tecnologias em desenvolvimento da TISMOO pretendem antecipar a personalização clínica, acreditando que o conhecimento da individualidade genética contribuirá a cada dia para um melhor entendimento do autismo além de, potencialmente, abrir novas janelas para intervenções mais específicas.

Atuando neste campo, a TISMOO percebeu que poderia contribuir também em outras áreas da saúde, como foi o caso da pesquisa sobre o Zika vírus e a microcefalia.

“Ficamos muito sensibilizados com o surto dessa condição neurológica no Brasil e acreditávamos que poderíamos fazer mais do que a startup vinha se propondo a ser e a fazer. Entendemos que poderíamos ter um papel importante para tentar desvendar a agressividade dessa versão brasileira do Zika e, assim, ter respostas que não tínhamos a respeito do vírus”, comenta Alysson Muotri, biólogo molecular e um dos fundadores da TISMOO.

A tecnologia usada pela startup contribui para a pesquisa de doenças e condições neurológicas. Uma de suas tecnologias é a modelagem celular que possibilita a criação de uma nova plataforma para a análise funcional das alterações dos genes podendo, desta forma, desenvolver e testar novos medicamentos em minicérebros de pacientes produzidos no laboratório. Com o ideal de ser uma startup com abordagem mais humana e próxima dos pacientes, buscando sempre a linguagem mais acessível, a TISMOO quer ir além do modelo capitalista das empresas do setor.

“Acredito que hoje estamos diante de desafios importantes, como no caso do Autismo. Precisamos de novos modelos de negócio que sejam capazes de conciliar de maneira inteligente o interesse de seus investidores a um propósito maior e proporcionar com isso uma mudança positiva e sustentável na sociedade. É o que estamos vivendo na TISMOO hoje e é a nossa motivação para os novos desafios que estão por vir”, acrescenta Muotri.

Além dos minicérebros, a TISMOO dispõe de serviços como a Análise do Genoma Completo, a Análise do Exoma e o Painel de Autismo, sendo o primeiro e o terceiro exclusividades da empresa no Brasil. A Análise do Genoma Completo pesquisa as 3 bilhões de bases (letras) do genoma do indivíduo. O segundo é o tipo de análise (Exoma) que faz o sequenciamento de regiões codificantes do genoma humano, o que representa aproximadamente 2% do nosso material genético — e é nessa região que se encontram a maioria dos genes relacionados a doenças conhecidas. O terceiro, o Painel de Autismo, consiste na análise detalhada de genes associados ao TEA (350 aproximadamente), oferecendo assim uma alternativa mais acessível de diagnóstico e investigação dos genes, com foco específico nas alterações genéticas descritas na literatura científica.

Para mais informações, acesse a TISMOO e para ler o artigo publicado na Nature na íntegra, clique aqui.

(*) Termo usado para designar novo modelo de organização com o objetivo de beneficiar comunidades específicas, no caso da TISMOO, as do Autismo.


Entre em contato com a gente: www.tismoo.com.br/fale-conosco

Também pelo telefone: +55 (11) 3251–1964 ou 3541–1136

Comments

comments